Indústria baiana gera 36 mil empregos nos últimos 12 meses

A indústria baiana segue com saldo positivo na geração de empregos, no acumulado de janeiro a setembro de 2021, nos últimos 12 meses gerou mais de 36 mil empregos. Só em setembro o resultado da geração desses postos de trabalho foi expressivo gerando 3,8 mil empregos que foram puxados pelos setores de Couro e Calçados; Metal, Exceto Máquinas e Equipamentos e Minerais Não-Metálicos. Além disso, houve o aumento de 24,11% do valor exportado no período de janeiro a outubro deste ano. Essas informações constam no Informe Executivo de Indústria divulgado nessa quinta-feira (24) pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE).


“Seguimos felizes em divulgar resultados positivos da nossa Bahia. O nosso polo industrial é muito promissor e estamos sempre prospectando e atraindo novos empreendimentos com novas oportunidades para o povo baiano. Temos três importantes setores se destacando em setembro deste ano que foram Couro e Calçados com mais de 1.300 empregos gerados, seguido por Metal com 350 e Minerais não Metálicos, com 245 postos de trabalho”, destaca o secretário de Desenvolvimento Econômico Nelson Leal


O valor, em Dólar FOB, das exportações de produtos industrializados baianos subiu 24,11%, de janeiro a outubro de 2021, na comparação com mesmo período do ano anterior. Já os nos valores exportados com destaques positivos foram: Os Minerais com aumento de 157% no valor exportado, de US$ 212 milhões em 2020 para US$ 545 milhões em 2021, Calçados com o aumento de 122% do valor exportado, passando para US$ 48 milhões em 2021 ante US$ 22 milhões em 2020 e Carne na elevação de 109% no valor exportado, de US$ 17 milhões em 2020 para US$ 35 milhões em 2021.


O segmento de Calçados, Couro e Componentes está disperso por boa parte do interior do estado baiano, em cerca de 18 territórios de identidade. A maior quantidade de empregos está concentrada nos territórios do Médio Sudoeste da Bahia, Portal do Sertão e Recôncavo. O Estado vem incentivando o segmento, atraindo importantes empresas âncoras, como Banor, Grendene S/A, Dass NE, Durlicouros, Paquetá Ramarim, Free Way, R Dois, dentre outras. A mais nova fábrica do setor é a Durlicouros Ind. E Com. De Couros, que começou a operar em 2021, no município de Santa Terezinha, gerando 120 empregos diretos na região do Recôncavo baiano, com aporte de R$ 25 milhões em investimentos. São 71 empresas implantadas, o que resulta num montante de R$ 436 milhões de investimentos gerando 35.816 mil empregos até setembro de 2021.